POEMA

Poema: “A flor que brilha”
Escrito por: Antonio Carlos de Lima-“Toninho Carlos”

Bom dia, luz que irradia o jardim do dia-a-dia.
Pétalas cheirosas que exalam da mais linda rosa.
Quem sabe um dia, o sol que te  ilumina, que também lhe ensina.
A ser uma eterna menina, mesmo com o passar dos dias.

Desculpe-me pelas falhas nos versos e rimas.
Mas te lembrar me reanima me faz tornar um menino.
No meu peito não é só um coração que bate.
Parece mais um sino, no pensamento que te retrata.

Não posso vê-la e nem tocá-la, mas ouvir sua doce voz me acalma.
Vai ao profundo d’alma em saber da sua existência.
Toda nossa experiência viva ficará sempre presente.
E mesmo com o passar do tempo, está enraizado na gente.

Enquanto há vida, há esperança.
Esperar nem sempre cansa, pois o tempo é o senhor da razão.
Pedindo pela bonança, em ver a sua imagem.
Em busca do doce favo de mel, com um sabor inenarrável.

Para você: Minha doce e saborosa criatura morena da cor do pecado.